Homem que é homem não dança

segunda-feira, 8 de setembro de 2014


Vamos começar por honestamente admitir que à volta de 80% dos héteros deste planeta, foram abençoados com dois pés esquerdos e uma noção de ritmo tão minuciosas como a trepidação de uma máquina de lavar roupa avariada.

Não quero ofender ninguém, mas é entrar numa qualquer discoteca para vê-los dançar sobre um pé e depois sobre o outro, levantando as mãos aleatoriamente.

A partir daí nasceu a sabedoria popular de que dançar é coisa de bicha, homem que é homem, não dança, (ou mexe-se só mínimo, dentro de um quadrado imaginário com 20 cm quadrados de volume, o suficiente para parecer alvo de reanimação por choques elétricos.)

Por isso, no auge da minha adolescência, tinha pavor de sair para dançar.

Porque quando passava alguma música de que eu gostasse - o que na altura com duas vodkas com redbull em cima, era praticamente toda a playlist da noite -, lá se mexiam os meus quadris como se a pomba gira descesse sobre mim e dissesse "solta a franga rapaz" enquanto sensualizava loucamente de braço no ar e olhos semicerrados -  lendo bem a descrição parece mais que estou a ter uma trip de LSD do que a dançar, mas acreditem em mim quando vos digo que era coisa extremamente erótica e sensual, que nem todos conseguem aguentar sem fortes ondas de desejo sexual.

O que para uma alminha fortemente encravada no armário era digno de pesadelos.
"Vai tudo pensar que eu sou gay!"
(Sim, eu sei, a vida é irónica)

E então arranjava desculpas, ou ia e ficava sentado a brincar com a palhinha enquanto tentava passar despercebido, abanando o pézinho acompanhando a batida da música discretamente.

Eventualmente a fobia passou, mas lembro-me sempre dessa fase quando vou à discoteca gay aqui da zona
e acabo a fazer o twerk - ou a tentar, vá - se eu e os amigos tivermos bebido demais.

E agora era a parte em que transmitia ao leitor alguma lição de vida ou uma experiência de crescimento pessoal que deixa aquele gostinho doce na boca, mas isto não é o programa da Fátima Lopes.

(Já agora, mudei o logotipo do blog, só porque me apeteceu, e coiso.)

18 comentários:

  1. Eu bem que gostaria que essa sabedoria popular aplica-se a mim.(não sei dançar nada). Acho que essa porcentagem de 80% não se aplica aos héteros hispanos , ou pelo menos os hispano-americanos. Sempre tive a impressão que eles nascem requebrando a cintura, não conheci um homem hétero que não soubesse dançar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar eu tive azar com os héteros daqui então :/

      Eliminar
  2. Ok... o que me assusta... é saber que tu... tewrk...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não disse que twerkava bem, disse que twerkava alcoolizado. é diferente Shoes Manuel xD

      Eliminar
  3. Deixa-me que te diga que os heterossexuais africanos também não tem problema nenhum em abanar a anca!

    ResponderEliminar
  4. Eu sempre gostei de dançar e só não o fiz mais vezes (há muito que não o faço) não por vergonha mas por sentir (vá-se lá saber as razões lol) que todos olhavam para mim, mas estava enganado.

    Eu agora se pudesse iria dançar ao som de "F*ck Love" ou "Bounce" da Iggy Azalea mas sem o twerk. Isso fica para quem quer e quem o sabe fazer lol.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso acho que a coisa de olharem para mim nunca foi grande problema. pode tê-lo sido na adolescência, mas acabou por me passar ao lado.

      Eliminar
  5. Rapaz,

    Eu queria dançar, mas... sou levemente atrapalhado, mas nunca vou me esquecer a sensação quando fui a primeira vez em a uma discoteca gay... Libertador! ;-)

    Lendo teu post me lembrei dessa cena de um filme... não sei se chegou a assistir na época, mas acho que descreve bem o que mencionou.

    https://www.youtube.com/watch?v=dLjY4Xwmdik

    E a nova logo ficou muito bonita!! Abração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu lembro que estava super nervoso, daí cheguei lá e em cinco minutos passou qualquer nervo xD
      Não conhecia o filme, vou ver, pareceu divertido :P
      Abraço ;)

      Eliminar
  6. Garanto que a falta de habilidade com dança não é privilegio dos héteros. Mas eu tento, a bebida no meu caso não ajuda e parei com isso, rs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando não há jeito, chega só a disposição mesmo xD

      Eliminar
  7. Se 80% dos heteros não sabem dançar, qual a percentagem de gays que não sabem? Eu faço parte dessa percentagem, com muita pena minha... LOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faço ideia da percentagem gay, mas era uma coisa que se pensava mais há uns anos. agora com as modas das kizombadas toda a gente mexe o rabo xD

      Eliminar
  8. Concordo contigo em tudo. E gosto do logo. Está muito profissional. Elevaste o blogue para outro nível. Fazes domicílios? LOLOLOL :P

    ResponderEliminar

Vá, a comentar enquanto ainda não cobro nada.
Respondo sempre e coiso.
(sou ótimo a motivar as pessoas hein?)