O Casal

domingo, 11 de outubro de 2015

(não resisto a usar este vídeo)

Ainda na minha fase Polyanna, que se esmorece mais a mais com cada experiência falhada, inscrevi-me em mais um aplicativo - Já lhes começo a perder a conta.
Controladas as minhas quase incontroláveis expectativas, já tinha ultrapassado a fase de procurar desencalhar - pelo menos parcialmente - , passando a contentar-me com a eventual queca divertida com algum gajo giro e interessante.
Com o passar dos dias, comecei a acreditar mais na fada dos dentes do que na realização dessas expectativas bastante básicas.

Parece que no Algarve só há casais à procura de rambóia, ou "amizade especial" como tão subtilmente sugeriam nas mensagens que me mandavam uns atrás dos outros.
Juntando à equação as intermináveis exigências dos solteiros de "sigilo" e "discrição" fiquei com a vincada impressão que estava a pedir códigos para o lançamento de mísseis nucleares, cada vez que queria combinar um café ou um cinema com um torso sem cabeça.

Então, um dia qualquer, Senti aquela descarga de adrenalina que a típica dona de casa suburbana sente quando vai ao supermercado e compra as cinquenta sombras de grey juntamente com arroz carolino e uma lata de ervilhas cozidas para o jantar, uma grande puta pioneira na arte dos menage a trois, e resolvi por responder a uma dessas mensagens de um casal das redondezas.
Teclei com muita facilidade, regado de vodka e aborrecimento.
Disse-lhes que nunca tinha feito tal coisa e pareceram-me muito compreensivos e simpáticos, o que vendo em retrospectiva acontece sempre que alguém nos quer saltar para a cueca.
Em aproximadamente cinco minutos evoluímos da conversa cliché de quererem fazer amigos - que devem dizer a todos - para descrições muito...gráficas de fetiches sexuais e coisas que me fariam quando me pusessem a mão -e outras partes do corpo - em cima.

O resto da conversa foi meio que um borrão de elogios e sugestões.
No dia seguinte, a vodka tinha saído toda do sistema, e com ela foi toda a minha coragem líquida.
Subitamente, a puta pionera, virou virgem vergonhosa.
Reparei que afinal não eram assim tão giros.
E que moravam a quase cinquenta quilómetros de mim.
E que queriam que eu fosse ter com eles para um sítio que desconhecia completamente.
E passou-me a vontade completamente, enquanto pensava que nunca mais devia andar com aplicativos de engate, com vodka no sistema.
Afinal eles eram simpáticos, e sabiam que eu nunca tinha feito nada disto, e que era normal que ficasse nervoso e pudesse mudar de ideias, iam compreender.
Então, como uma pessoa racional expliquei-lhes que afinal não queria. Que não estava pronto para me meter numa situação dessas e tinha ponderado e tal.
E lá foi a compreensão com o caralho.
Foi um bocado como se tivesse prometido dar um rim a alguém, e me tivesse levantado da mesa de operações cinco minutos antes da cirurgia.
Passámos da negação à chantagem emocional numa cena digna da novela das oito.
Aparentemente um deles partiu um candeeiro e andava aos berros lá em casa, com a fúria imensa de não poder possuir o meu esbelto corpitxo.

Enquanto isso, o outro me dava uma lição de moral interminável, porque, tinha por escrito por mensagem a minha intenção de me enrolar com eles, e isso é lei.
Quanto mais lhes tentava explicar que afinal não me estava a soar tão bem a ideia de fazer 100 kms para dar uma queca, agora que estava sóbrio e racional, mais me tentavam fazer sentir mal, e reconsiderar.
Prometeram-me um jantar à luz das velas - provavelmente porque já não tinham candeeiro para acender - e uma noite inesquecível - que provavelmente incluiria levar com o outro candeeiro na tromba se corresse mal.

 E quando disse que não, que talvez mais tarde, mas que podíamos continuar a falar, e talvez desenvolver uma amizade - porque afinal, tinham dito de cinquenta maneiras diferentes que procuravam amiguinhos por lá, a eterna aldrabice não é verdade? - disseram-me que iam deixar de me falar, mas que se reconsiderasse lhes podia dizer.

Até hoje nunca mais voltámos a falar, não sei muito bem porquê.


*Eventualmente fiz mesmo sexo a três, mas isso fica para outro dia. 
Ou então não que isto não é o - falecido - blog dos menages.*

Já alguma vez vos aconteceu algo parecido com alguém?
Um engate que não tenha levado bem a tampa?
Vá, comentem-me, à bruta.

17 comentários:

  1. Não com um casal, mas já tive cenas do género no tempo em que falavamos pelo msn.
    Nesse aplicativo não existia a opção de bloquear? LOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. as mensagens foram trocadas por telemóvel, não gosto de manter conversas nessas apps... acho que nunca fiz nada pelo msn xD

      Eliminar
    2. Nunca fizeste nada pelo msn? Cam2Cam? LOLOLOLOL

      Eliminar
  2. Há uma frase que resume este post todo:

    "E lá foi a compreensão com o caralho."

    ResponderEliminar
  3. Nunca fiz mas, como sou um fetichista por excelência, ainda não desisti ... rs

    ResponderEliminar
  4. Não tenho histórias rocambolescas como a tua :-p não sei se é mau ou bom de qualquer forma acho que dispenso, muita emoção à mistura lol :-p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. todas as minhas histórias são rocambolescas xD

      Eliminar
  5. Já estive do "outro lado", não da levar tampa por causa de sexo, mas levar tampa por não me quererem conhecer, depois de marcarem as cenas e não reagi lá muito bem lololol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já me aconteceu e por acaso n m stressei nem nada xD
      essas coisas supostamente acontecem :3

      Eliminar
  6. Seus textos estão cada vez mais bem escritos, parabens! Tanto quando fala de assunto "sérios" quanto de "menos sérios"!
    Ainda bem que acordou sobrio no outro dia, porque se tivesse rodado os tais 100 km na noite anterior... teve sorte penso eu!
    E não desista de tua busca, achar a tampa da panela talvez não seja tão dificil!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Awn. obrigado :3
      É, a gente ás vezes se "arrisca" e faz coisas de que nem tá tão a fim no impulso, e depois se arrepende... mais vale pensar sempre um pouco antes de partir na aventura, quanto mais não seja pra escolher bem a aventura em si xD

      Eliminar
  7. Não tem muito tempo estive de papo com um "gajo", de cara percebi que era meio enrolado, mas enfim...Conversa vai, conversa vem, surgiu a ideia de um encontro "apenas para nos conhecermos"... ele estaria em uma cidade próxima (por volta dos 50 km também ehehe). Não deu certo, pois ele chegaria tarde e eu não havia nada certo... Deu-me uma lição de moral imensa. (Anotei)

    Da outra vez, ele sempre muito cheio de dedos e receios, conseguimos planejar um novo encontro... mas por conta de um compromisso de trabalho, não seria possível. Lá veio ele querer me dar outra lição...

    Dessa vez, no primeiro "beicinho", soltei o famoso, "Beleza, então!!!" e deixei-o a falar. Acho que não receberei mensagem de Natal dele, aliás... para onde eu o mandei mentalmente também não deve ter Correios! :P

    Como eu ainda não me dei bem nenhum com "um", achei por bem não me aventurar em casais! eheh

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É... depois do segundo fora suponho que não haja volta a dar à situação :P Quem sabe com o próximo corra melhor :3

      Eliminar
  8. Um amigo meu foi ameaçado de porrada por um idiota se não comesse a namorada deste. Andou umas semanas a ser ameaçado. No final ninguem teve sexo com ninguem e ninguem levou porrada, mas foi das coisas mais ridiculas que me contaram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que raio? xD essa bate a minha história a milhas xD

      Eliminar

Vá, a comentar enquanto ainda não cobro nada.
Respondo sempre e coiso.
(sou ótimo a motivar as pessoas hein?)