5 motivos porque toda a bicha deve experimentar ser passiva

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Estou aqui para lhe falar de um assunto muito importante.
O seu cu.
Huh? diz você caro leitor.
Por esta altura ia escrever um disclaimer a avisar os mais sensíveis que poderiam não gostar muito da conversa que se segue, mas hey, estão a ler um blog chamado "cansei de ser hétero" e a levar com uma drag queen a cantar "es una pasiva" se ainda não perceberam do que se trata, estão aqui por conta própria, amanhem-se.
Sim, o lugar onde o sol não brilha, para muitos objecto de obsessão capaz de arruinar impérios e destruir sociedades.
Muito boa bicha não experimenta assar a maçaroca no próprio forno, porque feliz ou infelizmente está presa aos preconceitos que ainda poluem o imaginário colectivo da bandeira do arco íris, achando que é uma perda de virilidade, que é coisa de maricas, afinal, macho que é macho, não dá o cu... well guess what, o grau de mariquice é o mesmo independentemente da posição.

Venho aqui para lhe dizer, que partilhe o seu cu com o próximo.
Não que vá desfolhar o seu botão de lótus com o primeiro arrumador de carros que lhe aparecer num parque de estacionamento abandonado nos arredores de Odeceixe, mas que um dia com calma e com o seu parceiro amado e confiado, se ponha de quatro e não seja para procurar o telemóvel debaixo do sofá.

E aqui deixo embaixo os 5 motivos essenciais para que você caro leitor, não tenha medo e se jogue de cabeça na odisseia de ser passivo pelo menos uma vez:

1
        O cu é seu.


Experimente para ver se gosta, se detesta, porque tem um espacinho livre antes de dar a novela das oito ou porque lhe apetece.
Há sempre o factor próstata a ajudar à equação, e no fim das contas ninguém quer ser a bicha amarga que não come sushi só porque acha que é peixe cru.
O pior que pode acontecer é não gostar, e não voltar a repetir a experiência.

2
        Uma entrada triunfante no mundo da Versatilidade

Tinha um namorado (mais ou menos) que tinha uma camiseta estampada com a frase "versatile boys have more fun" - meninos versáteis divertem-se mais, traduzindo livremente.
E é bastante verdade, porque sexo é como comida, quanto mais se pode variar, melhor.
E que melhor maneira para variar do que poder fazer-se ambas as posições no boudoir?
Negar se a isso é um bocado tipo comprar um par de sapatilhas, mas só calçar uma.

3
       Valoriza-se mais o parceiro


Depois de passar pela experiência em primeira mão, e independentemente de se ter ou não gostado, temos toda uma outra perspectiva sobre como o(s) nossos parceiros se sentem na situação inversa. Aprende-se que  mais devagar significa efetivamente "mais devagar" e não "Enfia tudo até me tocares no pâncreas com a pila, e me parares a função renal pelo caminho, e as tuas coxas me batam no rabo como um martelo de serralharia".

4
        Exercício físico


Acredite em mim, descobrirá que dentro de si, reside um contorcionista do cirque du soleil, capaz de meter uma perna na mesa de cabeceira, e a outra na cómoda.
Para além de que se queimam muito mais calorias a levar com ele, e que melhor desculpa para fugir ao ginásio, do que a oportunidade de ter um orgasmo no sofá da sala?


5
        Dissipa preconceitos

A derradeira, e mais importante razão, que me levou a fazer todo este post - para além do rum com fanta e das memórias de deliciosas cambalhotas passadas, e sim eu sei o patético que isto soa, não me julguem.
Porque afinal, Qual é o ponto de pedirmos para acabarem com a diferenciação contra pessoas LGBT , quando deixamos nós mesmos que se prolonguem imensos preconceitos dentro da nossa própria comunidade.
Ser passivo nada tem que ver com a masculinidade de uma pessoa.
Não é por dar o buraco negro do sul que vai subitamente fazer madeixas azuis, e virar fã da Lady Gaga.... e se fizer, bom para si, who cares?
O pior tipo de bicha é a bicha complexada.
Não muda porra nenhuma, senão o facto de ficar efetivamente mais íntimo com o seu parceiro, por não imporem barreiras de comportamentos.


Vejamos isto tudo não como um alargar a traseira, mas como um alargar de horizontes.

14 comentários:

  1. Well..... eu do lado de cá...kkkkk, acho que voce tem razão!!!

    O vídeo é super.... kkkk

    Abraços

    ResponderEliminar
  2. Há uns que gostam de gelado de baunilha, outros de chocolate e há aqueles que gostam dos dois e até por vezes os deixam um pouco derreter :-p

    ResponderEliminar
  3. o problema é q depois q se experimenta só se quer saber disto ... kkkkkkkkkkkkk ... OMG!!!

    ResponderEliminar
  4. Versatilidade é a chave! ahah

    Mas o receio de adotar uma posição passiva (atendendo ao ato físico) é compreensível. O que me intriga é pessoal exclusivamente passivo, a quem a penetração até surge como algo repulsivo.

    ps. As tuas publicações são fantásticas!!

    ResponderEliminar
  5. Acho que o melhor é mesmo experimentarem porque se não o fizerem não sabem o que perdem.
    Estou contigo, se não gostarem, não repetem

    ResponderEliminar
  6. No meu caso, acho que devias apresentar 5 motivos para uma bicha experimentar ser activa. Mas adorei os teus motivos...

    ResponderEliminar
  7. Excelente texto, bem humorado, falando de um assunto sério! Parabéns! Realmente entre os homossexuais existe muito preconceito entre os TOP e os BOTTOM, com um preconceito não velado contra quem admite curtir ser passivo - mesmo estatisticamente os que curtem ser passivos serem ampla maioria - sem dúvida ligado á nossa percepção do que seria "masculino" como vc mesmo disse! Eu já experimentei e não curti, mas nunca tive nenhum problema com isto, aliás sou fã dos amigos que lidam com orgulho com o fato de serem passivos.
    Agora, tem também muito passivo que "não admite" que seu companheiro "nem pense" em experimentar isto, para não acontecer o que o Bratz pontuou!
    Adorei o vídeo... como chama esta Drag? ela participou do Ru Pauls Drag Race não?

    ResponderEliminar
  8. Acho que a primeira é suficiente. "O cu é meu, faço o que quiser com ele!". E nunca poderei negar uma ciência que desconheço :P

    ResponderEliminar
  9. Aqui na minha cidade caberia fazer um texto ao contrário: sugerindo que sejam ativos. Moro em Sao José dos Campos, São Paulo, Brasil e aqui me parece que a cada 10 bibas , 11 são passivas, rs. Robson

    ResponderEliminar
  10. Adorei o post! E concordo inteiramente com ele!

    ResponderEliminar
  11. Não sei o que é melhor, se o texto, se os comentários lolololol

    ResponderEliminar

Vá, a comentar enquanto ainda não cobro nada.
Respondo sempre e coiso.
(sou ótimo a motivar as pessoas hein?)