Sangue Gay não presta.

sábado, 1 de março de 2014


Tenho um casal de amigos que são dadores de sangue.

De 3 em 3 meses lá vão eles fazer a dádiva, e não há uma vez que não se lembrem de me convidar. E mesmo apesar do meu pavor a agulhas, tenho vontade de ir, porque os bancos de sangue estão a precisar e há pessoas a morrer que precisam de transfusões de sangue, e verdade seja dita - tirando a parte de ter pavor a agulhas - não me custa nada.

Para ajudar, sou dador universal, em teoria, visto ter sangue O-.

Mas nunca vou com eles.

Invento sempre uma desculpa da xaxa e fico por casa.

Porque chegado à clínica, em vão dar um inquérito para preencher sobre os meus "hábitos de vida", e a partir do segundo em que, sendo homem, marcar a cruzinha a confirmar que tive - e tenho - sexo com outros homens, sou automaticamente riscado da lista.
Não posso, porque segundo diversas organizações médicas pelo mundo fora, sendo gay, tenho obviamente "comportamentos de risco" - mesmo que nunca na minha vida tenha tido sexo sem preservativo e não ande a rameirar com todos os homens que me aparecem à frente.
(Acho que ando a enviar seringas usadas no rabo e a ter sexo desprotegido com sem abrigos quando vou Às orgias de sexta feira à noite.)

E posso sempre escolher mentir no formulário, dar sangue às escondidas, porque afinal não tenho doença nenhuma e ninguém saberia de nada, mas era estar a prepeturar um tratamento diferenciado sem pés nem cabeça.

E isto talvez fizesse sentido há 25 anos atrás, quando os testes das DST não eram tão precisos e rápidos, e não se testavam minuciosamente os dadores antes de aceitar o sangue. mas agora... é simplesmente preconceito, puro e duro.

Isto tudo porque vi todo um questionário da ILGA [Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero] Portugal no blog do neko-chan e só me apeteceu responder a uma das perguntas, (a 9ª que pergunta quando me sinto discriminado), vão lá cuscar o resto e responder ao questionário se quiserem.

20 comentários:

  1. enfim, isso é uma tristeza, algures no meu blogue também já falei disso.

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. Não tens de quê ;)
      É uma chatice, pronto :/

      Eliminar
  3. r: ahah quando comeres nem vais pensar no assunto ;)
    isso é mesmo triste mas é a nossa sociedade...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse o problema, as pessoas encolhem os ombros e deixam andar, "algum dia há de mudar", mas deixam andar.

      Eliminar
  4. Então e que garantias há de que um/uma hetero não anda "a rameirar" e a ter mais comportamentos de risco?
    Que vejam o filme Dallas Buyers Club, que é um bom exemplo disso mesmo. :\

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nenhumas, mas pronto, é "normal" já não ligam tanto a isso. Por acaso tenho que ver esse :P

      Eliminar
  5. Eu era/sou, nem sei como isso está, já que só dei uma vez e nas outras não pude por causa dos baixos níveis de hemoglobina, mas nunca reparei nessa questão do questionário. Acho que tanto um gay como um hetero podem ter comportamentos de risco, e se o sangue é sempre analisado, não devia haver esse tipo de descriminação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não devia haver mas infelizmente há :P
      Eu nem sabia disso há uns anos é que fiquei a saber que existe isso. depois cá em casa tenho quem seja dador e respondeu aos mesmos questionários por isso coiso -_-

      Eliminar
  6. Bom, tens toda a razão. Nunca doei sangue. Nem sei se podia, visto que sou asmático e já tomei muita medicação para a asma. Teria de me informar. Em todo o caso, odeio tirar sangue e partilho contigo o pavor de agulhas.

    Os comportamentos de risco existem em qualquer pessoa que tenha sexo desprotegido, seja hetero, homo, bissexual ou lá o que quiser. O resto é mero e inconstitucional preconceito. Em 2009, salvo erro, abordei isto no meu blogue.

    Só não percebi o 'dar sangue às escondidas'. Como assim?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. dar o sangue ás escondidas mais no sentido em que poderia simplesmente aldrabar esses campos, eles não iam verificar, o meu histórico sexual, e daria sangue, meio ás escondidas. Acho desnecessário este filtro, se se testa tanto o sangue antes de se aceitar. enfim

      Eliminar
  7. Que estupidez, meu deus.
    R: Exatamente como eu x)

    ResponderEliminar
  8. Essa clínica está completamente desatualizada. Se for num hospital ou num dos camiões do Instituto do Sangue (acho eu que é assim), essa pergunta não existe mais. E já foi há 2 anos.

    E obrigado por estar mencionado! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É que nem é só uma clinica especifica, há muitos sitios em que isso ainda acontece. E nem é só cá por Portugal, noutros paises acontece o mesmo. de nada ;)

      Eliminar
  9. E com tanta gente a precisar de sangue...

    ResponderEliminar
  10. Que estupidez! E não há maneira de fazeres uma reclamação? Pode não servir de nada, mas se todos encolhermos os ombros e deixarmos isto andar então é que não muda nada nunca.
    Vou dar sangue de 4 em 4 meses, e nunca reparei nessa questão. Mas podes crer que para a próxima vou reparar e vou perguntar se fosse lésbica se me proibiam de dar sangue...

    ResponderEliminar
  11. Deixei de ser dador quando "essa" pergunta apareceu no questionário. Não me faz diferença nenhuma. É sinal que não há assim tanta gente a precisar de sangue.

    ResponderEliminar

Vá, a comentar enquanto ainda não cobro nada.
Respondo sempre e coiso.
(sou ótimo a motivar as pessoas hein?)