O amor é picuinhas.

terça-feira, 11 de março de 2014


7,216,529,565 pessoas no mundo.
Eu incluído.
E no entanto, encontrar o tal - coisa que... estatisticamente deveria ser fácil - , torna-se tarefa hercúlea, quase impossível aos olhos do comum mortal.

No outro dia cheguei à conclusão, que a culpa pode muito bem ser nossa.

Somos programados já in-uterus a acreditar que somos todos especiais.
Viemos a este planeta destinados a grandes feitos e um futuro brilhante, porque não somos normais - DEUSMALIVREGUARDEEPROTEJA, normalidade, coisa mais desinteressante - , somos especiais, únicos, fantásticos quais unicórnios a cagar arco íris num prado de trevos de quatro folhas.

E como pessoas fantásticas que somos, não nos satisfazemos com qualquer coisinha que apareça.

Afinal, ninguém come filet mignon com batata frita.
Viramos verdadeiros picuinhas nas lides do coração, e já não basta respeito mútuo e companheirismo - Pff, that's so last century!

Não.
O tal tem que ser lindo, saído de uma capa da Men's Health, masculino, mas não demasiado masculino, porque tem que partilhar os sentimentos e nos dizer que nos ama imenso, que dar prendas caras, ser um connoisseur de cozinha gourmet e de bons vinhos e gostar de longos passeios pela praia, basicamente tem que ser um híbrido entre romances eróticos da revista Maria e um anúncio a tampões - que fazem qualquer um sentir-se fresco e satisfeito.

Depois ouvem-se queixas desesperadas "como é que não encontro ninguém?".
Pois, não sei.

14 comentários:

  1. A culpa é da disney:-P

    Mas sim, concordo plenamente contigo, através da ironia :-) Subvalorizamos a normalidade, e pessoalmente, essa normalidade é tão boa, tão estável e rica. E depois há uma grande diferença entre o que queremos e o que precisamos...

    Unicórnios a cagar arco iris em prados de trevos??? Oi????Larga as dorgas ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. as dorgas não me deslargam páh!
      (a minha piquena sereia não me ensinou nada dessas coisas xD)

      Eliminar
  2. Muito bom. É que é isso mesmo. Achamos que somos extraordinários (adorei a imagem mental do unicórcio a cagar arco-iris num prado de trevo de quatro folhas lol a sério, onde arranjas estas ideias?!) e depois subvalorizamos a normalidade, o fácil, o óbvio, o "porque não"? Queremos sempre o fantástico, o arrebatador, o difícil, o misterioso...
    E ainda nos queixamos e achamos que temos razão e o mundo é que está contra nós e temos pouca sorte :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toda a gente adora unicórnios! xD
      É uma coisa que me frustra um bocado sinceramente, não pela valorização pessoal, mais a percepção exagerada que nascemos todos pra ser melhor que o vizinho do lado. modéstia please.

      Eliminar
  3. Adorei o texto e durante imenso tempo também pensei assim!
    DEUSMALIVREGUARDEEPROTEJA, o teu blog é tipo the best fucking thing in blogosphere :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde que já n penses muito assim, tás safa, pensa assim. Awwn, obrigado :P

      Eliminar
  4. Eu quero um gajo que me saiba comer e que me trate bem. Não é pedir muito.

    ResponderEliminar
  5. É essa a verdade e durante anos, confesso, que vivi nessa busca, até perceber que estava no caminho errado. Não diria melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz ou infelizmente, andamos todos eventualmente uns tempos nessa busca até cair a ficha. acho que até me caiu moderadamente cedo, Graças a Deus nóssinhor.

      Eliminar

Vá, a comentar enquanto ainda não cobro nada.
Respondo sempre e coiso.
(sou ótimo a motivar as pessoas hein?)